Tecnologia do Blogger.
REPORTAGENS FOTOGRÁFICAS – RONALDO DÉBER- (085) 8721 2442

10 de out de 2016

Série C -Mais uma vez Fortaleza adia sua ascensão a série B - Veja os melhores momenntos

Finalmente neste domingo 09, chegou a o jogo do ano para a equipe do Fortaleza o grande momento para a torcida tricolor que lotou a Arena Castelão, 63. 903 torcedores proporcionaram a renda recorde de R$ 2. 356, 087,00 Fortaleza x Juventude na Arena Castelão.
Fizeram a festa e não avisaram ao time do Fortaleza que o jogo era decisivo. Pra inicio de conversa, entrou em campo atrasado e esqueceu do futebol no vestiário , do futebol que o time apresentou na copa do Brasil diante de Flamengo e outros menos votados , até parecia que se tratava de um simples amistoso, sem nenhum interesse .
Bisonho, este é o adjetivo que melhor qualifica o futebol apresentado pelo tricolor de aço na primeira etapa.
Inicialmente com uma meia cancha que não marcava, perdia todas as bolas, primeira ou segunda , logicamente se não conseguia fazer uma boa marcação, não podia acionar o ataque , apenas alçar bolas na área adversária ,  onde a zaga gaucha ganhava todas com tranquilidade , e assim foi toda primeira etapa .
Nas poucas oportunidades de gol que o Fortaleza teve, não soube aproveitar, o Juventude ainda chegava com perigo nos rápidos contra ataques que armava, pegando desprevenida a atabalhoada zaga tricolor que não era devidamente protegida em primeiro plano pelo  seu meio  de campo, apenas Correia tentava fazer sua parte, já que Juliano e especialmente Rodrigo Andrade passeavam em campo.

Veio à segunda etapa, e antes que o time tricolor se posicionasse em campo, uma gélida ducha de água fria nas pretensões tricolor . Sozinho no meio da zaga, que marcou apenas a bola, Hugo na cara do gol de cabeça , marcou para a equipe gaucha, Ricardo Berna nada pode fazer, um a zero Juventude.

Então o time do Fortaleza percebeu onde e como estava. Estava na Arena Castelão buscando a ascensão a série B e perdia por um a zero, decepcionando aquela imensa nação que lotava a Arena .
Emerson Maria fez as duas ultimas substituições que tinha direito, já havia tirado Daniel Sobralense (figura decorativa na primeira etapa), no intervalo por Leandro Lima , depois que “casa começou a cair” saíram Correia cansado , para a entrada de Pio e Juliano no lugar de Everton que não estava bem.
Apesar do apoio das arquibancadas, o Fortaleza mostrou abatimento após o gol e encontrou muitas dificuldades para reagir. Aos 12, quase sofreu o segundo, mas Ricardo Berna fez boa defesa após chute de Wallacer.

Por fim, o baque inicial passou e o time da casa conseguiu se soltar aos poucos, mas ainda com dificuldades. Aos 20 minutos, Leandro Lima foi derrubado próximo à área e o juiz marcou falta. Apreensão e então comemoração no Castelão. Pio soltou uma bomba na cobrança e o goleiro Elias aceitou.
O gol inflamou de vez a torcida e dessa vez o time foi junto no embalo. Aos 24 minutos, Anselmo cabeceou e Elias fez um milagre para evitar o segundo gol tricolor. A partir daí, o jogo ganhou um novo ritmo.
Aos 34, foi à vez do Juventude quase marcar.  Roberson deixou a defesa para trás, ficou cara a cara com o goleiro e tentou a cavadinha, mas a bola saiu pelo lado. O Fortaleza respondeu aos 34, em mais uma cobrança de Pio, desta vez defendida por Elias. O tricolor continuou em cima e teve boas chances desperdiçadas, enquanto o Juventude assumia de vez a postura defensiva para tentar segurar o resultado.
No jogo da tarde deste domingo 09, o Fortaleza deixou para trás gigantes do futebol brasileiro como São Paulo e Vasco. O Tricolor paulista havia levado 61.766 e 61.297 contra Atlético Nacional e Atlético-MG, respectivamente, pela Libertadores. Em jogos de Campeonato Brasileiro, o maior público do ano era o do empate entre Ceará e Vasco, pela Série B, quando 55.445 compareceram ao Castelão.

A maior arrecadação do ano, no entanto, ainda é a da semifinal da Libertadores entre São Paulo e Atlético Nacional. Naquele jogo, a diretoria do Tricolor arrecadou R$ 7.526.480, quase três vezes mais do que o valor que o Fortaleza levou neste domingo.
O Fortaleza vai para o oitavo ano seguido na Série C. O time caiu em 2009 e não mais voltou para Série B, "batendo na trave", nas quartas de final, nos últimos quatro anos. Em 2013 perdeu para o Oeste, com centenas de cadeiras sendo quebradas no Estádio Presidente Vargas. Em 2014, o desastre foi contra o Macaé, desta vez no Castelão, com centenas de cadeiras sendo lançadas no gramado.
O fato se repetiu em 2015 contra o Brasil de Pelotas, onde novamente centenas de cadeiras foram quebradas. Em 2013, o Fortaleza foi despachado pelo Sampaio Correa, também no Castelão, ainda na fase classificatória. Novamente os torcedores quebraram centenas de cadeiras.

Pra variar enquanto os verdadeiros torcedores saiam pacificamente da Arena Castelão após a decepção do resultado do jogo ,Vândalos tentaram agredir a pequena torcida do Juventude presente a Arena porem, foram devidamente recebidos pelo forte esquema de segurança montado pela PM para o evento, com gás pimenta e balas de borracha. Os torcedores revidaram com morteiros. A polícia registrou ainda depredações na Avenida Silas Monguba, que fica no entorno do Castelão, e no Terminal de Ônibus da Parangaba. Ninguém foi preso. A Luarenas, empresa que administra o estádio, não divulgou balanço sobre as ocorrências.




FICHA TÉCNICA
Fortaleza-CE      1             x             1             Juventude-RS  
Quartas de Final
2ª rodada
Data: 09/10/2016
Horário: 19h00
Local: Arena Castelão - Fortaleza (CE)
Árbitro
Péricles Bassols Pegado Cortez - PE
Assistentes
Clovis Amaral da Silva - PE e Cleberson do Nascimento Leite – PE
Renda:R$ 2.356.087,00

Público:63.903
Cartões Amarelos
Juventude-RS: Ruan, Wallacer
Cartões Vermelhos
Fortaleza-CE: Juliano
Juventude-RS: Pará
Gols
Fortaleza-CE: Pio 21' 2T
Juventude-RS: Hugo 2' 2T
Fortaleza-CE
Ricardo Berna;
Felipe, Lima, Edimar e William Simões;
Juliano, Corrêa (Pio), Daniel Sobralense (Leandro Lima), Rodrigo Andrade e Everton (Juninho);
Anselmo
Técnico: Hemerson Maria
Juventude-RS
Elias;
Vidal, Micael, Ruan e Pará;
Wanderson, Lucas, Felipe Lima (Carpini), Wallacer (Neguete) e Roberson;
Hugo (Ernani)

Técnico: Antônio Carlos Zago

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

  ©deberlima.blogspot.com - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Samuel Pinheiro | Topo